9 de março de 2014

Dá-me a Tua Cabeça

"A fé confirma todas as coisas,
Sem ela, pouco valor têm arte e ajuda.
Mas vem, vamos experimentar isso
Na minha cozinha de alquimia
Onde ergui o alambique.
Vem e dá-me a tua cabeça e não tenhas medo.
Dentro em pouco veremos
Subir com todo ímpeto os vapores,
Cheios de mil maluquices
Que percebo bem dentro de ti.
Oba! Eles já vêm subindo!
Epa! Que mutucas, que moscas!
Que lixo há em tua cabeça!
Ó caldeirão abagunçado de ignorante,
Realmente dás-me mais que fazer
Que toda uma floresta apinhada de monos.
Se eu te livrar dessa doença,
Bem poderás proclamar-me um mestre."
*Desconheço a autoria.
Postar um comentário