1 de outubro de 2011

GIRAR NO AMAR


Vou girar intensamente como a um redemoinho em águas claras e esvaziar-me do meu ser: Girar, girar... Até despir-me de minhas vestes e cobrir-me com as pétalas e o vento que tu me ofertastes.


Vou girar amavelmente como a um pássaro extâsiado e deixar a tua mão mover-me e com minha cor desenhar a lua no céu dos amantes: Provar, provar... Até que em silêncio possamos nos ver como noite clara e flor.


Vou girar eternamente como a um átomo apaixonado e acordar de novo e de novo em teus lábios que vem curar-me por inteiro: Ser um contigo, um contigo… Até que o ultimo suspiro parta deste corpo e só reste canção e cinzas.


Vou girar invisivelmente como um espírito livre e dançar como primavera que cobre os campos e ser um mar de sementes e consolo para todo deserto e choro: Brotar, brotar… Até me acabar em gozo e flauta por campinas nunca antes vistas.


Vou girar incontrolavelmente até alcançar as Alturas e profundezas de tua alma e lá ser um céu estrelado de sorrisos e amor: brilhar, brilhar… Até cobrir de bençãos todas as criaturas e almas aladas


Vou me aquietar e aquietar como a concha que vai abrigar a gema mais preciosa que logo logo irá abrir-se para revelar a jóia que mesmo agora já reluz em meu peito: Romper, romper... Até que cada botão e pássaro se ergam não pelo sol mas por este amor.


Vou girar e me fundir de tal forma em ti que trará o céu a beijar os pés desta terra e enfim partirem daqui e seguir para uma eternidade de descobertas e delicias sem fim e que quando se forem sejamos tu e eu entrelaçados neste amor que é o que vai restar… Para então viver, Viver…girar, girar, brotar, brotar, romper, romper…   AMAR E AMAR

Postar um comentário