31 de julho de 2011

Don't worry, be happy !


Temos desprezado sonhos, o diálogo conosco, com a única pessoa presente a todas as cenas do nosso drama. Vivemos uma cultura que enfatiza o "Reality Show", (construímos uma vida que delegamos, vivemos uma vida artificial, com valores de outra pessoa). Renunciamos à esperança por profundidade, conexão, significado. O que não nos falta é distrações e seduções oferecidas pela mídia popular que oferece mais fantasia, mais autoilusão.

Como  afirma M.A.Spinelli: "só nos níveis mais profundos do inconsciente que se vai buscar a origem dos sintomas"... enquanto isso, vivemos os sintomas das patologias modernas: da dependência, desejo, narcisismo, hedonismo, materialismo. É preciso uma disposição titânida pra se viver num mar inconsciente de altas doses de ansiedade que a cultura nos oferece; "Sensações", anestésicos de todo tipo... e tudo isso, pela razão de que ignoramos nossa história e as inúmeras pistas que ela nos oferece uma oportunidade de renascer e tomar consciência.

Deixo Bhagavad-Gita como estimulante para a diminuir o anestesiamento :)

"É melhor executar a própria tarefa
não tão bem do que fazer perfeitamente
a do outro: você está a salvo de prejuízo
quando faz o que deve fazer."

Namastê !
LúKhayyám
Postar um comentário